Alimentação Infantil.

A família exerce um papel fundamental na alimentação infantil e em seu processo de desenvolvimento psicológico.

Atitudes superprotetoras, disciplina excessiva, abandono, desprezo, ciúmes, patologias infecciosas e muitos outros fatores podem levar a criança a comportamentos de risco em relação à alimentação.

Ao analizar uma criança que não come, deve-se levar em consideração suas necessidades metabólicas e sua sensação de fome e saciedade. Se a criança não se alimenta do jeito que a mãe julga necessário de forma quantitativa e qualitativa, a sua interpretação é de que esta não come direito. Cria-se assim um mecanismo de desajustes na relação familiar.

Para a criança, a alimentação é o momento de contato afetivo e vínculo com a mãe. Se não for criada uma boa relação alimentar, a relação mãe-filho pode ser prejudicada e a criança passa a não comer para chamar a atenção ou impor sua vontade.

Dicas para uma alimentação mais feliz:

Não se deve forçar a criança a comer o que ela não gosta. Em caso de recusa, interromper a refeição, mais tarde torne a oferecê-la.

Os pais devem servir de modelo, por isso, sua dieta, se estiver incorreta, deve ser modificada para que a criança apreciar os alimentos.

Evitar das lanches como hambúrguer, refrigerantes, biscoitos… antes das refeições.

Evite juntar sensações associadas ao ato da alimentação, por exemplo: contar histórias, ligar a televisão.

Mostrar interesse com o ato de alimentar, sem demonstrar preocupação pela quantidade do alimento ingerido.

Não fazer comparações com outros irmãos ou amigos.

O ambiente em que é servida a refeição deve ser calmo, isolado das áreas de maior ativade doméstica.

Evitar oferecer alimentos gordurosos e com alto teor de hidrato de carbono, porque provocará uma saciedade precoce e o esvaziamento gástrico será mais lento.

Não usar tônicos para estimular o apetite.

Verificar a vigência de qualquer processo infeccioso, por menor que seja.

Não dar medicamentos de sabor desagradável durante as refeições.

Recuperar o prazer da alimentação através de um cardápio especial, fazendo pratos bem coloridos e atraentes.

Não forçar a criança come mais do que ela consegue. Em geral as mães nunca estão satisfeitas com a quantidade que os filhos comem.

O amor e a compreensão são os melhores remédios para reverter o quadro de anorexia comportamental.

Uma alimentação balanceada é essencial para a saúde por acelerar o processo de recuperação da criança e até reduzir o número de doenças.

Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: